Salve amigos do Remédio Rock, o blog vai entrar em um breve período de hibernação, mas isso não quer dizer que você não possa mais acessar diariamente, pois ainda tem muita coisa legal nos posts já publicados, links para downloads, audições, vídeos e velhas novidades ou novidades velhas.

O que eu posso assegurar é a matéria especial sobre os melhores discos independentes do ano, melhores vídeos e banda destaque de 2009, isso tudo para o fim do ano…e se for ver…já estamos quase em 2010…é isso.

Não posso deixar de agradecer a enorme contribuição da jornalista Fernanda – Fereh – na coluna de sexta-feira, com posts interessantes e recheados de olhares sob um prisma diferente, relacionado ao fantástico e mirabolante universo musical. Vale citar a inteligente e bem elaborada  entrevista com Sylvio Passos (amigo e colega do Raul Seixas). Confira!!!!

E Hey Ho Let’s Go!!!!

Acesse o blog da FEREH clicando AQUI

Anúncios

the beats

A banda cover dos Beatles nasceu em 1987. Em 1996 foi considerada a melhor banda Beatle do mundo. E o título foi de peso, porque veio da Beatles Annual Convention de Londres e Liverpool. Até mesmo o primeiro manager da banda inglesa, Allan Williams afirmou que eles soaram até melhor que os Beatles.

Os caras devem mesmo ser feras (não, ainda não consegui assistir), porque além de turnês pelo Reino Unido, se apresentaram em várias cidades do Japão. E os caras são de onde?? Argentina, isso mesmo. O melhor cover do mundo é formado por hermanos, eu achei legal isso porque torna a história toda nada óbvia. O grupo é formado por: Patricio Pérez (líder fundador, diretor musical) que faz o George Harrison; Diego Pérez (líder fundador) no papel de John Lennon; Rubén Tarragona (integrante) que faz o Paul McCartney; Nico Natal (integrante) é o Ringo Starr e Steban Zanardi (integrante) é pianista e tecladista.

The Beats conseguiu a façanha de gravar no estúdio n° 2 de Abbey Road, E.M.I de Londres (isso mesmo, onde os Beatles gravaram todo seu material). Logicamente já se apresentaram por vários locais da América Latina, incluindo o Brasil algumas vezes, com a constante enorme procura por ingressos. Numa próxima vez quem sabe assisto. Enquanto isso temos nossos CDs, LPs, MP3 e a Internet pra acharmos de tudo a respeito das bandas: a original e a cover.

“Speaking words of wisdom let it be…”

Indicação de filme para quem curte The Beatles: Across the Universe.

Com várias músicas relidas e adaptadas cantadas por diversos artistas. Não espere um roteiro linear e super amarrado, mas sim bastante “viagem” visual (afinal estamos falando de letras dos Beatles…e daquela época, vocês sabem…) e lucidez musical. A trilha ficou muito boa e nova ao mesmo tempo. Enjoy!

the beats 1

Fereh. (A Fereh, rs).

Acesse o blog da Fereh: www.fereh.wordpress.com

De acordo com matéria no site da Rolling Stone Brasil “os planos para a edição comemorativa dos 40 anos do festival Woodstock estão descartados. Michael Lang, um dos organizadores da maratona, em 1969, desistiu de dar continuidade à organização de um show por falta de dinheiro”.

A ideia inicial era promover um megashow gratuito no Brooklyn, em Nova York, que coincidisse com a data do primeiro festival, entre os dias 15 e 17 de agosto de 1969. No entanto, Lang foi obrigado a adiar o projeto, porque não encontrou patrocinadores para bancar o custo total – algo entre US$ 8 a US$ 10 milhões.

O produtor tentou, então, fechar o show para o final de setembro, como forma de unir o evento à Semana do Clima, nos Estados Unidos, programada para acontecer entre 20 e 26 daquele mês. A convenção é parte da campanha internacional da ONU “Seal the Deal!” (“feche o acordo”, em tradução literal), voltada para conscientizar líderes mundiais sobre as mudanças climáticas do globo.

 

Salve Duda Calvin, primeiramente queria dizer que é com grande satisfação que realizo essa entrevista com você e logo de cara pergunto o seguinte:

REMÉDIO ROCK: O título “Lobos não usam coleira” é uma referência ao fato álbum ter sido lançado de forma independente?

DUDA CALVIN: Exatamente, primeiro disco produzido, gravado, prensado e distribuído pela Tequila Baby.

REMÉDIO ROCK: Todos os álbuns anteriores da Tequila foram lançados por gravadoras, ora a Antídoto, ora a Orbeat Music correto?  Qual a diferença que você percebeu em se tratando de gravação, pressão para lançamento e na divulgação do novo trabalho em relação aos outros discos?

DUDA CALVIN:Com relação a gravação não foi diferente, sempre co-produzimos nossos discos, trabalhando junto com os produtores, desta vez com o Beat barea ( da Rosa Tatooada), com relação a pressão de gravadora, na real nunca sentimos isso, porque a gente gravava os discos e entregava pronto, eles não escolhiam as músicas e não participavam das gravações, acho que por isso a Tequila sempre teve bons trabalhos, nunca rolou de alguém dizer: _ grava isso! Não grave aquilo!

Quanto a divulgação, acho que por ser independente, o disco ainda é uma grande novidade, pois existem muitas pessoas que não descobriram o “Lobos Não Usam Coleira” ainda.

REMÉDIO ROCK: Como funciona o processo de composição da banda?

DUDA CALVIN: Não há uma regra, a gente ás vezes tem a letra e não tem a música, ás vezes tem som, mas não tem letra, ás vezes um faz a letra e outro a música, não tem uma regra de composição, uma “receita”, é bacana assim, cada coisa que surge, surge diferente, senão, virava receita de bolo né? Eheheheheh.

REMÉDIO ROCK: Falando em composições, a música “Velhas Fotos” recentemente foi considerada a melhor do Rock Gaúcho de todos os tempos, como você vê isso?

DUDA CALVIN: Pô, demais, tinham tantas que eu amo naquela lista, Cascavelletes, Graforréia, TNT, Replicantes, Garotos da Rua, Engenheiros, Nenhum de Nós, um monte de músicas bacana, fiquei muito surpreso, muito feliz, confesso que não esperava isso, só em estar na lista já me deixava com a sensação de: Uau!  A Gente tá nessa!

Ganhar a votação me deixou de queixo caído, a galera que curte Tequila baby é demais, somos uma família do Rock, temos os melhores fãs, que banda vende tantas camisetas em shows? Que banda vende tantos discos em shows? Que banda tem uma banca que leva de show em show, e já é marca registrada em todo Brasil? E te pergunto: Por que isso? Porque nossos fãs são os melhores, eles não só são fãs da banda, eles fazem parte do show, na roda Punk, na interação, todas as bandas queriam ter fãs assim, mas, infelizmente, uma galera assim, não está a venda, não se compra, se conquista.

REMÉDIO ROCK: O Rio Grande do Sul é um estado que historicamente revela grandes bandas para o cenário nacional, mas eu percebi que em muitos casos é necessário que a banda se mude para o centro estratégico do Brasil (SP), vocês já pensaram nisso? Vale a pena se mudar?

DUDA CALVIN: Não, com Internet, o jogo mudou, e digo mais, todos nossos shows fora do estado são cheios, conheço muita banda que se muda pra SP e não coloca 400 pessoas nos shows, não é uma questão de local, mas sim, de música boa. E digo mais, como é que eu iria fazer pra ver o Inter Jogar? Ou o Inter de Santa Maria? Ou o Inter de Lages? Em SP é que iria conseguir né? Ahahahahahaha.

REMÉDIO ROCK: Quais as bandas brasileiras que você curte?

DUDA CALVIN: Ultraje a Rigor, Raimundos, Cascavelletes, TNT,  Replicantes, Legião Urbana, Ira, Titãs, puxa tem tantas, que mais? Graforréia, CPM, Garotos Podres, Cólera, devo estar esquecendo de vááááárias, Mutantes, Engenheiros, Nenhum de Nós, Acústicos, Pity, Gangrena Gasosa, Matanza, Velhas Virgens, estas bandas novas que estão rolando também eu acho legal, é sempre bom quando surge uma nova banda de rock, mas não lembro de todos os nomes, façamos assim, escreva aqui:__________________, alguma boa banda de rock Brasileiro que eu deixei de fora desta lista. Ahahahahaha.

REMÉDIO ROCK: Os Ramones são um marco no universo punk rock – isso é inegável – e como foi gravar com a lenda viva Marky Ramone?

DUDA CALVIN: Muito Bom, Marky é gente fina mesmo, foi um sonho de menino que aconteceu, quando era muleque em 84 queria um dia ver um show dos Ramones, sonhava com isso, as pessoas crescem, seus sonhos se vão, na grande maioria das vezes, eu paguei a minha dívida com o moleque Duda Calvin, com juros e correção, ahahahaha, eu vi, eu conheci, e eu toquei com a banda que aquele moleque se apaixonou naquele verão de 1984, com a banda que ele mais adora no mundo, quem , das pessoas que vc conhece, conseguiu isso?

REMÉDIO ROCK: É possível viver exclusivamente de música alternativa no Brasil? (Financeiramente falando)

DUDA CALVIN: Olha, fazer música hoje em dia é difícil, no geral, mas como vc deve ter notado, a Tequila Ama muito tudo isso, vc não ganha muito, mas eu não entrei nessa pela grana, quando a gente começou a fazer música era pra se divertir, e continua assim 15 anos depois.

REMÉDIO ROCK: Duda, agradeço pela entrevista e pela iniciativa de ter disponibilizado toda a discografia da Tequila para downloads gratuitos no site Trama Virtual (exemplo que deveria ser seguido por tantas outras bandas).Por fim, você gostaria de deixar algum recado aos fãs tequileiros?

DUDA CALVIN: É um prazer tocar pra vcs, nestes quinze anos de Punk Rock, meus queridos, sejam sempre bem-vindos aos shows, Os Tequileiros Moem!

Feitoooooooooooooooooooooooooooooooooo!

Acesse o site oficial da banda: www.tequilababy.com.br

Eu ja citei a paixão e a admiração que os fãs sentem pela banda em outro post, hoje vou deixar aqui a prova viva dessa relação, mas antes devo dizer que isso só é possível porque os caras da Tequila são pessoas normais, sem aquelas excêntricidades que acometem as estrelas do mundo rock, por isso, há essa identificação da molecada e dos não tão piás (meu caso) com a Tequila Baby.

Encontrei uma monte de comunidades da banda no Orkut, de vários cantos do Brasil, tinha de SP, SC, PR e lógico RS!!! Além disso, vídeos no youtube feitos por fãs em shows, inclusive um deles está adicionado no Orkut pessoal do Duda Calvin e por aí vai mais um monte de coisas.

Não posso deixar de falar da homenagem explícita feita pelos roqueiros dos “OS ANTIBIÓTICOS” aqui de Lages, onde no quarto disco da banda “Crônicas de Amor e Ódio” há uma música intitulada: “UMA TEQUILA…BABY!!!”  e para ouvir click AQUI.

A seguir tem uma definição muito legal feito por uma fã, e o mais legal disso, é que está publicado no link “Banda” no site oficial e isso reflete tudo o que a TB representa para muita gente. Leia abaixo:

Estive pensando, formulando algumas idéias e cheguei a conclusão de que a Tequila Baby produz melodias simples e orgulha-se disso. É inflexível em suas idéias sem nunca perder o bom humor. Nunca esquece do lema punk “faça você mesmo!”, com um adendo: “faça bem feito”.Tem personalidade forte, que se alimenta das mensagens transmitidas pelos seus grandes ídolos. A irreverência dos Ramones, a integridade do Bad Religion e a fúria do Nirvana. Somente bandas que transcenderam a seu tempo. Comportam-se como filhos espirituais dos “grandes monstros” sagrados do punk rock. A Tequila é a prova de que o punk rock nunca morrerá, e que sempre haverá pessoas, de todas as gerações lutando para não deixar essa “aura” punk desaparecer.Eles nos passam um som punk rock muito bem feito, com belos vocais, guitarras bem timbradas e boas melodias. As letras então, falam de “amor à moda punk” ou ainda apresentam algumas crônicas urbanas muito bem humoradas.Nos passam temas tão “ganchudos” quantos o da turma de Joey e Johnny Ramone! Nós aqui, mais do que ninguém, sabemos o quanto eles ralaram para conseguir fazer com que um cara fosse ao show, pagasse para curtir e saísse satisfeito com o que pôde presenciar. E é por esse motivo que eles são os que mais respeitam o público e vêem em todos nós uma grande família, a família TEQUILA BABY. Todos curtimos bandas sinceras, que nos passam um rock puro e honesto, e é por isso que curtimos tanto a Tequila! E todos nós temos certeza que esse som continuará dominando por várias gerações. E como diriam o mestres Ramones “Hey, Ho, Let´s Go!

Hasta la vista nação tequileira!

E-mail enviado por:
Nayara Paula Schmidt – SC

POR ISSO E POR MAIS TANTAS OUTRAS COISAS QUE EU DIGO….TEQUILA BABY VAI SER SEMPRE TEQUILA BABY, INDESCRITÍVEL, INCOMPARÁVEL E O MELHOR DE TUDO….PUNK ROCK ATÉ OS OSSOS!!!

AMANHÃ NÃO PERCAM UMA ENTREVISTA EXCLUSIVA COM DUDA CALVIN!!!!

www.tequilababy.com.br

 

* Foto copiada do blog Mundo 47

SEM COMENTÁRIOS….”VELHAS FOTOS” É O MEGA HIT DA BANDA!!!

As vezes ouço vozes
E outras eu converso
Com alguém que não está aqui
Revivo toda noite
Na beira deste mar
Olhando as velhas fotos que eu bati

Eu sei
Que isso não traz você de volta para mim
E olhar você pela janela é ilusão
Mas meu princípio ainda esta longe do fim

Minha mente está embriagada
Tentando entender
Porque eu lembro de coisas que eu não vi
Que danem-se os poetas
E os loucos desvairados
Que rasgam os retratos para esquecer

Eu sei
Que isso não traz você de volta para mim
E olhar você pela janela é ilusão
Mas meu princípio ainda esta longe do fim

ASSISTA:

Para baixar “Velhas Fotos” e outras músicas em versão ao vivo  click  AQUI

Amigos tequileiros, a semanada dedicada à Tequila Baby está próximo do final, amanhã vai rolar algumas homenagens de fãs à banda e no fim de semana não percam a entrevista exclusiva com Duda Calvin.

Hey Ho Let’s Go!!!!

Duda Calvin e a galera tequileira!!!

Literalmente a Tequila Baby caiu nas graças dos fãs, porque o cara que curte T.B. é fód#!!! Quantas bandas aqui no Brasil tem fãs tão dedicados ao ponto de criar uma Rádio especializada em rock, com uma programação classe A, super diversificada e intercalando sons da Tequila, sabe me dizer????

Não perca mais tempo e acesse o canal on-line da RÁDIO TEQUILEIROS clicando AQUI

Confira “Tira o sutiã, tira a calcinha” em versão ao vivo:

Amanhã tem mais Tequila Baby!!!

"LOBOS NÃO USAM COLEIRA" (2008)A singularidade deste disco deve-se ao fato de ter sido gravado, divulgado e distribuído de forma independente, mas isso não abalou a Tequila de maneira alguma, pois a faixa de abertura “Aleluia”  nos remete ao melhor da banda, punk rock de primeira com uma letra sutilmente sarcástica,  destaque também para “Hey Girl” e ” Tão Fódão” onde o timbre das cordas de James Andrew mantém o peso característico dos álbuns anteriores.

 
Show histórico registrado em cd e dvd, onde a Tequila Baby divide o palco com a lenda viva do punk rock – Marky Ramone – o qual em poucas palavras pode-se definir como sendo perfeitamente perfeito. E a gravação em áudio e vídeo é de excelente qualidade, contendo relatos dos integrantes da banda sobre a gravação do dvd. E claro, muito som da T.B. e o melhor dos Ramones com o Mr. Marky assumindo as baquetas.
 
Esse cd foi gravado em 2004 e tem uma característica um pouco mais hardcore, destaque para “Sexo Pássaros e Rock and Roll” e também para a música “Ralph” baseada numa história real de um mendigo que trocou uma idéia com a banda.
 
 Na minha opinião esse disco de 2002 é fantástico, foi a terceira gravação em estúdio e a banda conseguiu encontrar um equilíbrio sonoro perfeito. Além disso esse cd contém uma faixa multimídia com imagens das gravações e também do show com Marky Ramone.
 
capas_oficiais_aovivo_130 Tequila Baby ao vivo gravado no dia mundial do rock em 2002…quer mais?
 Esse é o segundo trabalho da banda e contém o hit mais ouvido e esperado nos shows “Velhas Fotos”, nesse disco eles detonam o mais puro punk rock.
Em 1996 é gravado o álbum de estréia da banda e como eles mesmo dizem “Rock básico, primitivo, ataque sonoro, letras cruas e sutil erotismo. O disco pulsa e transpira energia. É de um estilo febril e contagiante. Ele é repleto de clássicos como “Balada Sangrenta”, “Prefiro Sua Mãe”, “Tira o Sutiã, Tira a Calcinha” e “Sexo, Algemas e Cinta-liga”.
BAIXE TODOS OS DISCOS DA TEQUILA BABY NA FAIXA!!!! CLICK AQUI!!!
 
E para ficar mais fácil ainda a banda disponibiliza também uma senha e o login, confira:
Login: tequilababy01@yahoo.com.br
Senha: tequila
Concluindo  o post de hoje em alto estilo, confira “Aleluia”

 

Salve tequileiros, é com grande satisfação que o blog Remédio Rock realiza a semanada especial sobre uma das melhores bandas  do Brasil – TEQUILA BABY – e a missão de definir os porto-alegrenses não é nada fácil, pois são 15 anos de som próprio  com características bem peculiares, além de possuirem  uma legião de fãs e a honra de terem tocado e gravado com Marky Ramone. Os caras da T.B. são literalmente “punk rock até os ossos”.

De cara, já posso afirmar que estive em alguns shows deles aqui em SC e não importa se era na mega estrutura do Planeta Atlântida ou em um local menor, a energia que flui do palco é altamente contagiante e vicia, porque você sempre fica na vontade de assistir a mais um show da banda. O que sempre será bom, isso eu posso garantir .

E sabe o por que? Porque o público sente  o carisma e o vocal do Duda Calvin, o peso das cordas e a pegada da batera batendo no peito e responde na mesma intensidade, os fãs da banda interagem o show inteiro, ninguém fica parado, a roda punk é sempre um convite a mais e as letras colocadas em melodias muito bacanas fazem a galera cantar do começo ao fim.  Incrível e quase indescritível.

Essa é a Tequila Baby que eu conheço, isso tudo sem falar dos álbuns da banda…mas isso é a matéria de amanhã.

Hasta la vista tequileiros.

Acesse o site oficial da TB: www.tequilababy.com.br

Confira o vídeo clipe da música “Melhor que você pensa” e diga-se de passagem…com uma ótima produção.

Salve amigos do Remédio Rock e tequileiros de plantão, entre os dias 27 de julho à 2 de agosto, vai rolar uma semanada com a Tequila Baby, com novidades, textos, clipes, e para fechar com chave de ouro…uma entrevista exclusiva com Duda Calvin, vocal da banda. Não percam!!!!

Aguardem, e confiram a partir da próxima segunda feira!!!!

Valeu

Bagunçando quartos de hotel com MxPx…ótima música em um vídeo muito bacana.

Em breve o sétimo disco de estúdio, que sucederá Weezer (de 2008, conhecido como The Red Album), já está praticamente pronto – “embora ainda falte ajeitar alguns detalhes”, diz a nota deixada no site oficial da banda.

Além do disco novo os caras aproveitaram para listar o que os fãs podem esperar para o segundo semestre:

– Primeiro single e vídeo do novo trabalho;
– Um lançamento especial e não-físico, a ser anunciado;
– A estação de rádio online APE;
– Edição deluxe do disco Pinkerton, de 1996 (“finalmente – se tudo correr como planejado!”).

Para quem curte o som do Weezer…é só aguardar que pelo visto vem coisa boa por aí.

Até mais.

“Leve, como leve pluma muito leve, leve pousa…”

A banda criada pelo compositor João Ricardo em 1971 mostrava ao Brasil um som novo e diferenciado. Canções do folclore português, como “O Vira”, misturadas com a poesia de Cassiano Ricardo, João Apolinário, Vinícius de Moraes e Fernando Pessoa, além de outros, fizeram do grupo um dos maiores fenômenos musicais do Brasil.

A formação inicial do grupo era composta por: João Ricardo (violão de doze cordas e gaita), Fred (bongô) e Antônio Carlos, ou Pitoco, como é mais conhecido.O som completamente diferente à época, fez com que o Kurtisso Negro de propriedade de Peter Thomas, Oswaldo Spiritus e Luiz Antonio Machado no bairro do Bixiga, em São Paulo, local onde o grupo se apresentava, fosse visitado por muitas pessoas, interessadas em conhecer o grupo. Entre os “curiosos” estava a cantora e compositora Luli, com quem João Ricardo fez alguns dos maiores sucessos já gravados no Brasil (“O Vira” e “Fala”).

Fred e Pitoco, em julho de 1971, resolvem seguir carreira solo e João Ricardo sai à procura de um vocalista. Por indicação de Luli, conhece Ney Matogrosso, que muda-se do Rio de Janeiro para São Paulo. Depois de alguns meses, Gerson Conrad, vizinho de João Ricardo, é incorporado ao grupo. O Secos & Molhados começa a ensaiar e depois de um ano se apresenta no teatro do Meio, do Ruth Escobar, que virou um misto de bar-restaurante chamado “Casa de Badalação e Tédio”.

No dia 23 de maio de 1973, o grupo entra no estúdio “Prova” para gravar seu primeiro disco, que vendeu mais de 300 mil cópias em apenas dois meses, atingindo um milhão de cópias em pouco tempo. Os Secos & Molhados se tornaram um dos maiores fenômenos da música popular brasileira, batendo todos os recordes de vendagens de discos e público. O disco era formado por treze canções que ao ver da crítica, parecem atuais até os dias de hoje. As canções mais executadas foram “Sangue Latino”, “O Vira”, e “Rosa de Hiroshima”. O disco também destaca inúmeras críticas a ditadura militar que estava implantada no Brasil, em canções como o blues alternativo “Primavera nos Dentes” e o rock progressivo “Assim Assado” (de forma mais explícita) em versos que personificam uma disputa entre socialismo e capitalismo. Até mesmo a capa do disco foi eleita pela Folha de São Paulo como a melhor de todos os tempos de discos brasileiros.

O pessoal do Secos sempre aparecia com maquiagens inusitadas, roupas diferentes sendo uma das primeiras e poucas bandas brasileiras a aderirem o glam rock. Em fevereiro de 1974, fizeram um concerto no Maracanãzinho que bateu todos os índices de público jamais visto no Brasil – enquanto o estádio comportava 30 mil pessoas, outras 90 mil ficaram do lado de fora. Também em 1974 o grupo sai em turnê internacional, que segundo Ney Matogrosso, gerou oportunidades de criar uma carreira internacional sólida.

Em fevereiro de 1974, fizeram um concerto no Maracanãzinho que bateu todos os índices de público jamais visto no Brasil – enquanto o estádio comportava 30 mil pessoas, outras 90 mil ficaram do lado de fora. Também em 1974 o grupo sai em turnê internacional, que segundo Ney Matogrosso, gerou oportunidades de criar uma carreira internacional sólida. No mesmo ano, é lançado o segundo disco de estúdio da banda, que tinha em destaque “Flores Astrais”, único hit do disco. O lançamento do disco foi pouco antes do fim da formação clássica da banda, que ocorreu por brigas internas entre os membros. Talvez por este motivo o segundo álbum – que veio sem título, e com uma capa preta – não tenha feito tanto sucesso comercial como o primeiro.

Após o fim do grupo Secos & Molhados, os três membros seguiram em carreira solo. Ney Matogrosso lançou no ano seguinte, em 1975, seu primeiro disco com o nome de “Água do Céu-Pássaro” com o sucesso “América do Sul”. João Ricardo lançou também em 1975 seu disco homônimo, mais conhecido por Pink Record. Gerson Conrad juntou-se a Zezé Motta e lançou um disco também em 1975.João Ricardo adquiriu os direitos autorais sob o nome Secos & Molhados, após algumas brigas na justiça, e saiu a procura de novos músicos para que a banda tivesse novas formações.

 E aí pra resumir um pouco, a banda teve outras quatro formações nos anos de 77, 80, 87 e 88 que já teve seu fim em 90. Em 2003 houve um lançamento para colecionadores do CD Ouvido Nu, para comemorar os 30 anos de gravação do primeiro disco deles. Um som suave, complexo e simples, relaxante e inquietante; é assim que eu vejo (ouço) Secos e Molhados desde não sei que ano e até sempre. Como eles cantaram: “…simples e suave coisa, suave coisa nenhuma, que em mim amadurece”.

 Fereh. 

(fontes: Wikipedia e Uol)

Acesse o blog da FEREH: www.fereh.wordpress.com

Sem muitos comentários…apenas curta!!!

Essa banda foi formada por Rodolfo Abrantes, logo após ter deixado o post de “frontman” dos Raimundos, ele manteve o tradicional peso das guitarras, uma batera destruidora, porém, a grande diferença entre Rodox e Raimundos está nas letras, que cultuam o grande exemplo da humanidade – Jesus – sim, Rodolfo deixou para trás velhos hábitos e costumes prejudiciais e passou a se dedicar à divulgação da Palavra do Senhor através do bom e velho rock!!!

Rodox teve um curto período nos palcos e estúdio, registrando duas gravações “Estreito” de 2002 3 “Rodox” em 2003, e um Lual Mtv em 2004,  entre indas e vindas de integrantes, hoje Rodolfo Abrantes encontra-se em carreira solo e com duas gravações e diga-se de passagem, bons também, mas isso é assunto para outro post.

Confira: DIA QUENTE com RODOX!!!

 

 

Em entrevista cedida à revista Rolling Stone Brasil o vocalista Beto Bruno e o guitar player Marcelo Gross revelam atual fase musical do Cachorro Grande, com o rock’n’roll dos anos 70 aflorado nas faixas de Cinema, o quinto trabalho de estúdio em dez anos de carreira. Mais democrático, o álbum contou, pela primeira vez, com composições de todos os integrantes do grupo, fato que “fez toda a diferença no som”.

Vamos ouvir então….

Hoje 13/07 é comemorado o dia mundial do rock, mas o que me chama a atenção não é a data propriamente dita, mas sim os títulos que são atribuidos a alguns artistas, cito o famoso “rei do rock” conhecido também por Elvis Presley, até semana passada existia  um “rei do pop”, o finado Michael Jackson, agora a rede globo elegeu o Roberto Carlos para ser o “nosso rei”…peraí gente…o que é isso?

Todos esses artistas tem seu mérito sim – pelo menos para uma certa geração – mas chamar de rei de um determinado estilo musical é demais, até porque a música é mutável, Billy Corgan (líder do Smashing Pumpkins) uma vez disse que a mesma canção pode ser interpretada de infinitas formas e isso me faz refletir e assumir que a música evolui, seja na parte instrumental, nas variações de estilo, na forma de colocar a letra harmoniosamente e na criação de algo novo.

Essa história de “rei” é algo que não deveria existir porque a sensação que fica é que essas pessoas que levam tal alcunha, são insuperáveis e que deixaram obras tão maravilhosas que jamais haverá algo melhor, isso eu não concordo, porque tem muita gente boa por aí, infelizmente a mídia só fica em cima das cartas marcadas.

Por isso eu adoro a internet, porque popularizou a música, ficou muito mais fácil ouvir bandas e artistas novos, todos têm um lugar ao sol virtual da web e muitos disponibilizam seus trabalhos para downloads gratuitos, o que é bom para todos.

Viva o rock!!!

sylvio_passos_2009

 Bem mais que o amigo de Raul. Sylvio Passos foi amigo de Raul Seixas e fundador do Raul Rock Club, considerado o maior e mais duradouro fã-clube no Brasil. A parceria entre eles fez com que Raul confiasse a Sylvio todo o seu acervo. Programas de TV, livros, eventos, shows em torno do artista levam de alguma forma a supervisão ou colaboração de Sylvio. Tive a honra de conversar com ele, depois de anos curtindo o som de Raul. Trago agora pra vocês no Remédio Rock!

 Fereh: Sylvio, poderia nos contar mais uma vez (pra quem ainda não souber) de que forma você conheceu Raul pessoalmente e como aconteceu a amizade?

Sylvio: Bem, conheci Raul em 1981, quando ele resolveu se fixar aqui em Sampa. Tudo foi muito mágico, muito rápido. Fundei o Raul Rock Club em junho de 1981 e rapidamente eu estava dentro da casa de Raul. Para mim – que era adolescente na época – era como se estivesse na casa do Bob Dylan. Logo essa relação fã-ídolo transcendeu, virando uma grande amizade.

Fereh: Raul Seixas realmente afirmava que você o conhecia mais do que ele próprio?

Sylvio: Sim. Raul costumava dizer que sofria de “apagamento”, que não lembrava de muitas coisas e se alguém quisesse saber dele que perguntassem à mim. Mas eu acho mesmo é que Raul estava de saco cheio de ficar respondendo as mesmas perguntas. (risos)

Fereh: O cantor tinha alguma característica peculiar que não sabemos? Era metódico, organizado, muitas manias ou algo do gênero?

 Sylvio: Bem, esse tipo de coisa é característica de gênios, não? Sim, Raul tinha mil manias, principalmente de tentar organizar tanto sua vida pessoal e profissional com organogramas e anotações. Também registrava tudo o que fazia e pensava, afinal tudo aquilo teria alguma utilidade algum dia. Essas, entre outras “manias”, eram coisas que tínhamos em comum. Acredito que esse detalhe também foi responsável por nossa amizade. Tínhamos muitas coisas em comum.

Fereh: Você acha que os livros que temos disponíveis sobre o Raul são confiáveis?

Sylvio: Eu diria que a maioria é confiável, sim. Mas, como, na maioria das vezes, os autores projetam em sua obra muito de sua visão pessoal, deve-se tomar um certo cuidado, não levando a ferro e fogo tudo que se apresenta em tais publicações.

Fereh: Além de coordenar e cuidar do Raul Rock Club, o que faz Sylvio Passos?

Sylvio: Essa administração do Raul Rock Club me toma quase todo o tempo. De certa forma, estou envolvido com quase tudo que envolva o nome e a obra de Raul Seixas; seja na produção de programas de rádio e TV, eventos, CDs, livros, revistas… Atualmente estou envolvido na produção do documentário sobre Raul que deverá chegar aos cinemas em novembro próximo e também em inúmeros eventos e projetos por conta dos 20 anos da morte de Raulzito.

Fereh: Você é compositor da música “Cowboy Fora da Lei” em parceria com Raul. Participou de mais alguma música dele?

 Sylvio: Raul sempre foi uma pessoa muito generosa e me proporcionou essa parceria na primeira versão de Cowboy Fora da Lei (Anarkilópolis), composta em 1984, três anos antes da outra versão que explodiu em todo o Brasil. Tentamos fazer outras, mas como não sou músico e a gente mais batia papo e curtíamos umas baladas, nenhuma delas foi adiante. Mas, mesmo assim, estou satisfeito e orgulhoso por ter sido parceiro de Raul em uma de suas canções.

 Fereh: Os fãs de Raul podem esperar novidades para 2009?

Sylvio: Sim. Vem muita coisa agora no segundo semestre de 2009 e muito mais está por vir nos próximos anos. É só os fãs ficarem antenados, pois nem tudo que está por vir ganhará destaque na mídia.

Fereh: Algo mais do “Baú do Raul” será mostrado ao público?

 Sylvio: Sim, esse baú guarda muitas novidades e elas chegarão ao público nos momentos certos.

 Fereh: Quais os próximos eventos coordenados por você em Sampa e pelo Brasil?

Sylvio: Estou com algumas apresentações da Expo Raul Seixas já confirmadas para o mês de agosto e também participações minhas em encontros de fãs em várias cidades do Brasil onde faço uma espécie de palestra (não gosto do termo palestra, acho formal demais. Prefiro chamar de bate-papo informal).

Fereh: O que o Sylvio está ouvindo ultimamente?

Sylvio: Estou ouvindo meus velhos ídolos do Blues e Rock and Roll e algumas coisas mais novas como o trabalho da Vivi Seixas que acabou de gravar um CD com versões remixadas de seu pai. Embora não seja exatamente o estilo musical que aprecio, estou curtindo a vibe dela. Tá bem bacana. Sou musicólatra e no meu iPod rola de tudo, de música erudita à heavy metal, passando por MPB, Jazz, Pop, Folk, Country, Progressivo e por aí vai. Música é combustível pra mim.

Fereh: E assistindo?

Sylvio: Estou tão atarefado com produções que pouco tempo me sobra para ver filmes. Os últimos que me lembro de ter assistido foram Control, The Great Rock and Roll Swindle e Lou Reed – Rock and Roll Heart.

Fereh: Manter esse fã-clube é fácil, médio, difícil ou “só para muito dedicados”?

Sylvio: Cuidar de fã-clube é tarefa muito difícil, tem que ter muita dedicação e, principalmente, criatividade e amor pelo que se faz. Sem esses ingredientes o fã-clube está fadado a falir.

Fereh: Você conta com algum incentivo cultural de nosso país?

 Sylvio: Absolutamente nenhum. Fãs-clubes não são reconhecidos como Entidades Culturais no Brasil. Talvez eu esteja abrindo esse caminho para as futuras gerações, afinal, o trabalho que faço, além de pioneiro, é único tratando-se de fã-clube brasileiro.

Fereh: Já pensou em promover algo Raulseixista aqui no Sul?

Sylvio: Sim. Inclusive estou vendo uma possibilidade de estar por aí em agosto, mas estou acertando detalhes ainda com o pessoal daí.

 Fereh: Quem é Sylvio Passos?

Sylvio: Um menino-adulto. Talvez um adulto-menino. Um sonhador convicto que carrega consigo a certeza de que tudo nessa vida vale a pena e deve ser vivido, experimentado, afinal, a vida é breve, muito breve.

 Fereh: A tua brincadeira favorita era? (responde vai…)

Sylvio: Quando criança, roubar livros. Quando adolescente, ler, ver filmes e ouvir música. Quando adulto, brincar de sonhar que ainda é criança, mas que não passa de um adultescente. (risos) Gostou?

Fereh: Quer nos deixar algum recado, agenda ou consideração final?

Sylvio: Como de costume, vou deixar algumas palavras de minha autoria. Se todas as mentiras que o mundo despejou em nossas almas apontassem ao menos um caminho pra encontrarmos a verdade, poderíamos afirmar que tudo valeu à pena. E de todas as mentiras, eu ainda prefiro as minhas. São mais verdadeiras, mais convincentes, nada óbvias. Bj, Sylvio It’s only Raul Seixas, but I like it.

Acesse o fã club oficial do Raulzito: www.raulrockclub.com.br/

Aproveita e dá uma olhada no blog da Fereh: www.fereh.wordpress.com

 

 

Essa gravação ocorreu no Hollywood Rock em 1992, vale o regitro histórico de uma das melhores músicas dos Titãs, foi-se a época das vacas gordas e das boas composições…tudo bem o mundo está em constante mutação, pena que as vezes…para pior.

Bidê ou Balde é uma banda roqueira do Rio Grande do Sul, daquelas para ouvir a qualquer hora, porque??? Por que tem letras bacanas e muitas vezes comedidamente  irreverentes, melodias que misturam vocal bem encaixado nos riffs, sem forçar a barra –  melhor – sem atropelar as harmonias para fechar a letra, deu para entender? Os timbres tanto do baixo quanto da guitarra são complementados por um teclado de fundo, o qual contribui em muito para preencher o som bideoubaldiano, sacou? Na dúvida, só ouvindo mesmo.

Acesse o site oficial da banda e confira as músicas na jukebok: www.bideoubalde.com.br

Aproveita e da uma olhadinha na agenda, numa dessas eles vão tocar na sua cidade, vale a pena.

Ps. Na minha opinião o melhor disco deles é o “Outubro ou Nada”  e “Melissa” é o grande hit da banda, do primeiro álbum “Se sexo é o que importa, só o rock é sobre amor”.

Assista “Melissa”:

 Concurso Fall Out Boy

Eu estava atrás de uma matéria para publicar hoje e encontrei no site da revista Rolling Stone Brasil um concurso bem interessante, em comemoração ao dia mundia do rock (13/07).

A promoção é a seguinte, basta responder “se você fosse montar um quinteto de rock com músicos famosos, quais seriam os integrantes e o nome da banda”?

Interessado???? Click AQUI

Início das incrições: 02/07/2009, 14h39
Fim das incrições: 30/07/2009, 23h59
Exibição dos resultados: 15/08/2009, 14h42

Massa essa promoção!!!

A cada site que acesso tem uma novidade sobre alguém lucrando com a morte mais badalada dos últimos tempos, do astro pop Michael Jackson, já li que tem pessoas leiloando os ingressos ofertados gratuitamente para assistir ao velório do cidadão, em menos de uma semana os três discos mais famosos já ultrapassaram 1.5 milhões de downloads pagos e por aí vai mais alguns milhares de dólares para a conta de alguém.

Essa é a indústria que move o mundo da música, pois se o cara já vendia bem, imagina agora, enquanto os fãs ainda choram, outros dão risadas e torcem para que mais uma celebridade em decadência morra…para então, vendê-lo como um semi-Deus.

 

Fereh: De onde veio cada violeiro clandestino? (alguma banda, projeto anterior, etc…)

 Guilherme: Tive vários projetos durante meus 17 anos de bandas, mas faz 13 anos que toco com Os Antibóticos.

 Andy: Vim de bandas alternativas e rock’n’roll. Toco atualmente também na Versalletes.

 Rafa: Vim de bandas de rock de garagem e experiências musicais na faculdade.

 Fereh: Vocês todos são lageanos mesmo?

Guilherme: sim

Andy: Sim

Rafa: Sim

Fereh: Como é para roqueiros, de repente misturar o pop, rock e o brega e ainda acrescentar irreverência e diversão nos shows?

 Todos:

É inusitado e inovador para nós, pois eram músicas que estávamos acostumados a ver nossos pais ou outras pessoas fora do meio alternativo escutando, mas que de alguma forma sempre estiveram presentes em nossas vidas.

Fereh: Pergunta clássica gurizada. Andy, Gui e Rafa – O que vocês curtem ouvir?

Guilherme: Rock’n’roll, metal, punk, rock alternativo, jazz, blues, clássico, MPB e algumas cositas mais.

Andy: Rock’n’roll clássico como Elvis, The Beatles, tmb jazz, bossa nova, AC/DC…

Rafa: Música brega, rock, jazz e blues.

 Fereh: Existe uma preocupação com “o tipo de público a atingir”, ou é para quem interessar possa?

 Todos: É o público quem tem que nos escolher e não nós escolhermos o público.

 Fereh: Vocês se apresentam com um figurino próprio?

Todos: Temos um figurino “violeiros”, fazendo referencias aos bandidos mexicanos dos antigos filmes de velho oeste, puxando para o “lageanês”, com uma pitada pessoal de cada integrante.

Fereh: Como é ser músico em Santa Catarina? Fácil, difícil, batalhado ou depende da conta corrente?

Todos: Ralado pacas! Porém, ser músico em qualquer local do Brasil é complicado.

 Fereh: O que podemos ouvir na apresentação dos Violeiros Clandestinos?

Todos: Rock, pop e brega, com uma pitada de salsa e merengue. ARRIBA!!!!!

Fereh: Querem fazer alguma consideração final?

Gostaríamos de agradecer todas as pessoas que comparecem aos nossos shows e que de alguma forma têm dado apoio aos Violeiros Clandestinos. Gostaríamos também de comunicar nossa agenda do mês de julho, tocaremos dia 04.07 no bar Bendito Fruto – Lages/SC, dia 11.07 no Arena Bar – Lages/SC  e dia 17.07 no Bar Vô João – Bom Retiro/SC. Entrem no nosso perfil do Orkut!!!!

Fereh: Para contratar o show dos Violeiros, como faz?

Pelos e-mails

violeirosclandestinos@hotmail.com

(49) 91178956 Guilherme

(49) 91197691 Andy

Fereh: Obrigada a vocês. Fereh e o blog Remédio Rock agradecem a entrevista.

Os Violeiros Clandestinos agradecem. ARRIBA!!!

 Acesse também o blog da Fereh: www.fereh.wordpress.com

 

 

Esse vídeo é em homenagem aos amigos “VIOLEIROS CLANDESTINOS” é só para curtir!!!

Rodrigo - vocal DEAD FISH

Geralmente esta coluna é dedicada às bandas independentes, aquelas que encontram-se no underground do rock brasileiro, mas não tem como negar que o DEAD FISH é uma banda que saiu do desse meio, e sejamos francos, todos querem fechar contratos com gravadoras bacanas e ter uma material bom para divulgar, isso a DeckDisc proporciona aos seus artistas. E quem não vai querer????

Entre demo-tapes, dvd, cds independentes e lançados pela própria Deck, chegam a um total de onze trabalhos, nos 18 anos de estrada, hardcore e suor. O cd mais recente é intitulado “Contra Todos” gravado em 2009.

Segundo a opinião do produtor Rafael Ramos “as vezes o álbum flui como nos primeiros trabalhos da banda, como na música Subprodutos. Eles estão soando mais jovens do que quando os conheci, no começo da carreira. É o disco mais veloz deles, sem dúvida, e as letras estão diretas, dedo na cara.”

Está falado, agora é só ouvir os caras do peixe morto.

Acesse o site oficial da banda: www.deadfish.uol.com.br

Segundo matéria no portal do MSN “MySpace fecha as portas no Brasil. A matriz norte-americana da rede social MySpace anunciou a demissão de mais de 300 funcionários que trabalham em escritórios fora dos EUA”.

A crise nada virtual atinge unidades da empresa em diversas cidades e os respectivos escritórios reais serão fechadas, afetando diretamente o escritório do MySpace no Brasil, que  encerrará suas atividades no dia 1 de julho. A notícia surpreendeu os 12 funcionários, já que a unidade brasileira continuava gerando lucro mesmo com a atual crise.

Aí eu pergunto…culpa da crise? Ou crise como desculpa? Mesmo assim a reestruturação também afetará escritórios do MySpace na Espanha, Canadá, Itália, Índia e outros países. As operações do site agora ficarão concentradas em Londres, Sydney e Berlim. O MySpace na China e no Japão não serão afetados.

Complicado isso…

Acesse: www.myspace.com

 

De acordo com matéria do site brazuca Zona Punk -“Brand New Eyes”, o novo disco Paramore que terá pré-venda começando dia 7 de julho, terá duas versões fisicas a venda. A primeira será o cd simples, a segunda será uma edição limitada de luxo. Serão apenas 15 mil peças que incluem o novo cd, um livro de 40 páginas com o diário da Hayley Williams com todas as letras e notas do álbum, um vinil 7″ com quatro músicas acústicas, um dvd com documentário making of (com entrevistas, behind-the-scenes, clipes etc), um livro de 16 páginas coloridas, um poster exclusivo e cinco fotos numeradas e autenticadas em papel de luxo.
Esta versão especial do disco estará a venda apenas no site: www.paramore.net . Agiliza o seu então!!!!

 

Jackson 1jackson 02jackson 03jackson 04

Michael Jackson faleceu ontem, quinta-feira (25/06), em Los Angeles após sofrer parada cardíaca. Serão feitos posteriormente aqueles exames técnicos e toxicológicos para analisar a real causa da morte.

Meu respeito aos fãs e aos milhões de dólares em discos vendidos que ele ganhou. Mas que vai ter muito menininho mais tranquilo a partir de agora vai. Se bem que aquela mega ultra casa com o parque de diversões chamada “NerverLand” era bacana né?

Brincadeiras a parte sempre fiquei espantada com toda a transformação que o cantor se auto cometeu ao longo de décadas. O que era uma pequena mudança se tornou uma total desconstrução da pessoa. Foram tantas e tantas plásticas que não sei como não ocorreu uma reação física anos atrás. Lembrando: não façam isso em casa crianças. Nas fotos acima vocês podem acompanhar um pouco da transformação do rei do Pop. Mas que o clipe de Thriller foi muito bem produzido para época, ah foi sim. Era até divertido inclusive. Bye Jackson, que descanses mesmo em paz, Black or White.

Acesse o Blog da Fereh: www.fereh.wordpress.com

Para concorrer à biografia Renato Russo – O Filho da Revolução, responda à seguinte pergunta, com no máximo 30 palavras: “Qual música do Renato Russo mais marcou sua vida e por quê?” Mas corra!!! O concurso é até amanhã 26/06.

Para participar click AQUI e boa sorte aos amigos legionários.

Até parece que é algo proposital, mas quando procuro por bandas novas para compor essa coluna do blog, na maioria das vezes  as poucas que me chamam a atenção são  do sul do Brasil, sem preconceitos às outras federações brasileiras (que também têm boas bandas escondidas no underground), porém, confesso que desta vez  não foi diferente, revirei o site Trama Virtual e achei os gaúchos do BELLE, rock com um melodioso vocal feminino, que ao mesmo tempo consegue ser harmonioso e enérgico e diga-se de passagem, sem ser piegas. Eles acertaram na escolha das distorções das guitarras e mediram com coerência os efeitos, destaque para a música “Histórias” a qual leva o nome do disco e “Nada vai mudar” que possui uma pegada bem marcante.  Confira!!!

Baixe os sons da banda no site Trama Virtual: www.tramavirtual.com.br/belle